O QUÊ VOCÊ PROCURA?

QUAL A CLINIPOM MAIS
PRÓXIMA DA SUA REGIÃO?

ABEPOM - Associação Beneficente dos Militares Estaduais

De quanto você precisa para envelhecer com segurança?

12/12/2018

Visualizado por 522 pessoas

De quanto você precisa para envelhecer com segurança?

A educação financeira é algo que nos acompanha pela vida toda. Mesmo com um emprego estável e as contas em dia, há sempre a necessidade de pensar no futuro e garantir nosso bem-estar. Por isso, é natural se perguntar quanto exatamente é preciso poupar para envelhecer com segurança.

Procrastinar esse planejamento ou ignorar o assunto é um erro que pode custar caro. Afinal, com as necessidades que surgem ao longo do tempo, é fundamental estar preparado financeiramente.

Pensando nisso, criamos este post para mostrar de que forma você pode se precaver e garantir um bom padrão de vida para o seu futuro. Confira!

Por que devo me preocupar com isso agora?

No Brasil, há uma cultura de consumo imediatista que pode gerar certas dificuldades no futuro. Em geral, quando o trabalhador entra no mercado e começa a gerar renda, ele não pensa tanto quanto deveria no ciclo de vida. A aposentadoria — e o que vem depois dela — tende a ser ignorada.

O grande motivo para se planejar desde o início da carreira é simples: quando envelhecemos, nossas necessidades mudam e os gastos, em geral, aumentam. Além disso, a própria renda tende a diminuir um pouco, principalmente frente à inflação e outras variações do mercado.

É compreensível que muita gente prefira traçar planos para ter uma carreira de extremo sucesso e acumular bens que, depois, compensem a diminuição da renda. Entretanto, há um ponto que poucos percebem com a devida antecedência: se o planejamento não for feito agora, um imprevisto no futuro faz com que o tempo perdido seja irrecuperável.

Profissionais que, por diversos motivos, perdem o emprego pouco tempo antes de se aposentarem começam a gastar suas reservas antes da hora. Enquanto isso, o atraso na idade para se aposentar ou mesmo novos gastos (com remédios, por exemplo) fazem com que os últimos anos não sejam de tanta economia. Por isso, a hora de poupar é agora!

Quanto mais cedo nos conscientizamos sobre a importância de criar uma reserva financeira, mais facilmente nos adaptamos a essa prática e criamos uma rotina. Mais tarde, os problemas para economizar serão bem menores e o valor poupado representará um montante significativo.

Ainda assim, você pode se perguntar: mas eu não deveria contar com o governo para garantir a minha aposentadoria?

Onde investir?

O brasileiro tende a pensar na aposentadoria como algo intrinsecamente ligado à previdência pública, da mesma forma que costuma resumir a ideia de investimento a um sistema de poupança. Entretanto, ambos os casos apresentam certos problemas.

Para começar, a aposentadoria governamental pode ser insuficiente. Alcançar um patamar de contribuição que permita um rendimento mais alto é bastante complicado, além de esbarrar em obstáculos como a inflação e a insegurança política do país. A desvalorização é quase certa e, com as necessidades que vão surgir, pode ser uma opção um pouco instável.

Por outro lado, quem busca uma estratégia para economizar deve estar atento às condições oferecidas. A poupança, por exemplo, é afetada diretamente pela inflação — algo que muitos ignoram. Se o rendimento prometido é de 1,5% ao ano, por exemplo, que benefício isso tem frente a uma inflação de 5% ou 7%?

Portanto, esteja atento e busque por estratégias mais eficientes para destinar seus investimentos, principalmente se é um plano que deve se alongar por anos ou décadas, até a aposentadoria. Para começar, estipule o valor que você precisa guardar, como mostraremos a seguir.

Como e quanto guardar para envelhecer com segurança?

Para começar, é preciso definir para si mesmo o padrão de vida que você pretende ter. Isso envolve um valor mensal e não considera herdeiros, que devem ser inclusos em um cálculo secundário. Vamos supor que seu plano seja se aposentar com R$ 3.000 por mês.

O próximo passo é verificar quanto o INSS poderá fornecer e, então, subtrair desse valor. Multiplique esse novo número por 12 para encontrar o total anual. Para finalizar, faça o cálculo com o multiplicador abaixo, utilizando como base a sua expectativa de vida após a aposentadoria:

• 20 anos: 14,13394;
• 30 anos: 17,98371;
• 40 anos: 20,58448.

No exemplo dado, R$ 3.000 x 12 meses = R$ 36.000 por ano. Se considerarmos uma expectativa de vida de 3 décadas após a aposentadoria, devemos multiplicar R$ 36.000 por 17,98371. O total a ser economizado será de R$ 616.800.

Por fim, verifique por quantos anos você ainda deve trabalhar e divida esse valor total ao longo dos meses para saber quanto guardar. Uma forma inteligente de facilitar esse processo é contar com um plano de previdência com bom rendimento, pois ele se ajusta às suas necessidades e colabora para garantir a segurança do seu plano de economia.

É natural ter alguma dificuldade para se organizar, principalmente no começo. Mudar hábitos e cortar gastos supérfluos são obstáculos para qualquer um, já que isso envolve repensar nossas prioridades. Porém, há estratégias eficientes para tornar esse desafio mais simples.

Para começar, estabeleça metas específicas. Especialistas afirmam que poupar 10% do salário é, muitas vezes, suficiente. Com o passar dos anos, o montante deve permitir que você alcance uma aposentadoria com o mesmo padrão de vida atual. Por outro lado, se você não está exatamente nos primeiros anos de mercado de trabalho, é interessante buscar a casa dos 20%.

Além disso, faça um orçamento mensal e controle seus gastos. Coloque tudo na ponta do lápis, guarde comprovantes, mantenha as despesas pagas em dia e evite ao máximo atrasar suas contas. Imprevistos acontecem, principalmente em relação à saúde — por isso, é importante ter uma margem de segurança.

Invista em seguro de vida e de saúde, pois eles mitigam esses riscos e garantem a segurança financeira de sua família. E lembre-se: educação financeira não pode ser feita isoladamente. Envolva sua família no processo e garanta que todos estejam conscientes sobre a importância de se preparar para o futuro.

Por fim, não se esqueça de pesquisar e avaliar as opções de previdência privada para encontrar uma que se encaixe nas suas necessidades. Além de envelhecer com segurança, essa estratégia permite que você tenha menos dores de cabeça com os cálculos e conte com o suporte de especialistas no assunto para se planejar com tranquilidade.

Fonte: Mongeral Aegon